Rita Aguiar: “Saber que irei levar as cores da nossa nação além-fronteiras é um orgulho, mas também uma enorme responsabilidade”

Rita Aguiar foi eleita para representar a Beleza de Portugal aos principais concursos de beleza internacional, de onde se destacam o (Miss Mundo, Miss Universo, Miss Internacional, Miss Supranacional e Miss Grande Internacional).

Depois do título de primeira Dama de Honor e título de Miss Desporto, a jovem valecambrense representará, já em outubro, o seu país e o seu concelho, na Bolívia, de onde segue para a Colômbia.

O concurso Reina Hispanoamericana já se encontra em votação nas redes sociais e a candidata com maior quantidade de “gostos” na sua fotografia, será a finalista direta.

Cristina Maria Santos

– Quando despertou para o mundo da moda?

Há alguns anos que decidi caminhar neste mundo tão peculiar, tão exigente e em constante mudança. Porém, o mundo das Misses, despertou em mim um maior interesse, em 2015, onde participei em “castings” pela primeira vez.

Concorrer a Miss Portuguesa não é apenas ter beleza exterior. Tem todo um conjunto de fatores que são considerados para a sua eleição: compromissos e responsabilidades, o saber estar em sociedade, entre muitos outros. O apoio de causas sociais, o apoio do outro são também alguma dos pontos que a Organização Miss Portuguesa valoriza.

O Miss Portuguesa, a família a que agora também pertenço e com grande orgulho, iniciou em 2011 e é o maior concurso de beleza português que veio dar seguimento ao antigo título Miss Portugal.

– Este ano, conseguiu o título de 1ª dama de honor Miss Portugal. O que significa esta distinção para si?

É verdade. Foram três semanas intensas de estágio. Desde entrevistas, debates, provas de talento e desporto, como ensaios entre outros. Foi o culminar de muito trabalho, ser fiel aos meus princípios, nunca passando acima de alguém para atingir o meu objetivo.

Foi muito gratificante ter alcançado este título. Todo o meu empenho, rigor estavam ali a dar fruto. Foi um dia que recordarei com todo o carinho e irei honrar muito aquela faixa, coroa e título.

– Representa o seu país além fronteiras. Como se sente a fazê-lo?

É inexplicável. Saber que irei levar as cores da nossa nação além-fronteiras é um orgulho, mas também uma enorme responsabilidade. Termos Portugal a apoiar-nos, poder ir e mostrar o país que somos…é o mostrar a nossa cultura e tradições, é sermos o rosto do nosso povo. Estou muito ansiosa pelos concursos em que irei participar, o primeiro dos quais, na Bolívia – Reinado Hispanoamericano, já em outubro e em janeiro Colômbia o Reinado Internacional del Café.

Para além destes concursos que referi, é a Organização Miss Portuguesa que possui os direitos e elege as representantes de Portugal nos cinco concursos do Grand Slam (Miss Mundo, Miss Universo, Miss Internacional, Miss Supranacional e Miss Grande Internacional), entre outros concursos internacionais de prestígio.

– E como é recebida?

Somos sempre muito bem-recebidas, mas por estranho que possa parecer somos mais acarinhadas no estrangeiro do que aqui em Portugal, e mesmo em eventos nacionais é diferente como os turistas que nos visitam vibram quando nos vêm, mais que os portugueses. Gostaria e tenho esperança que esta situação vá mudar.

– Sente que também está a representar Vale de Cambra, sua terra natal?

Sim, sinto. Aliás sempre senti, onde quer que fosse ou vá, o orgulho que tenho em ser valecambrense está presente. E não escondo o quão feliz sou, aqui e por ser daqui.

Porém, acho que Vale de Cambra, nem sempre deu o devido valor, reconhecimento e apoio a quem é daqui e representa Portugal internacionalmente. Mas creio, que dentro em breve, as coisas serão diferentes. Fiquei com esta sensação pelas reuniões que tive com o senhor presidente da Câmara Municipal e pelas palavras de apoio que me deu.

Aos poucos vamos mudando mentalidades e queremos ser um município mais unido e apoiar o que é nosso, porque são também os munícipes que valorizam e desenvolvem a cidade de Vale de Cambra.

Como se encontra, neste momento, o mundo da moda?

Agora estou mais focada no mundo das Misses, e, com a preparação para os dois internacionais que se avizinham.

– Que futuro prevê nesta profissão?

Não gosto de prever o futuro e convém ser claro que ser Miss não é carreira e muito menos profissão, pelo que quero seguir os meus estudos e ingressar no mundo do trabalho, continuando, no entanto, a seguir os valores e participando nas atividades da Organização Miss Portuguesa.

– Que conselhos daria a uma jovem como a Rita que quer entrar no mundo da moda?

Sermos nós mesmos. Sermos humildes, trabalhadores, focar nos objetivos que temos para alcançar. As oportunidades surgem mais depressa do que aquilo que pensamos. E, acima de tudo ser feliz e profissional. Orgulharmos-nos de quem somos, nunca esquecendo as nossas origens e aqueles que nos ajudam constantemente.

Deixe uma resposta

error: Content is protected !!