CambraFest já começou e a grande final será no parque subterrâneo, nos dias 26 e 27 de outubro

Os The Dust são a primeira banda confirmada na final da 8ª edição do CambraFest, com lugar marcado para 26 e 27 de outubro, no Parque Subterrâneo de Vale de Cambra.

Cristina Maria Santos 

A 1ª eliminatória da 8ª edição do CambraFest decorreu no dia 29 de setembro no Praça Bar que recebeu os Panic Resort, Space Wire e deu a vitória aos The Dust.

A banda vencedora vai disputar a final com mais quatro grupos que irão lutar pelo grande prémio deste “Festival de Inverno” de Vale de Cambra, nos dias 26 e 27 de outubro, no parque subterrâneo da cidade.

CambraFest é um evento anual, promovido pela Associação Académica de Cambra (AAC) que, ao longo dos anos, tem conquistado o panorama musical dos festivais nacionais.

“O CambraFest é um festival de inverno, diferente, inovador e acessível a todos, que já faz parte da cidade de Vale de Cambra”, explicou Eduardo Marques, vice-presidente da AAC ao jornal Voz de Cambra.

Este ano, o evento acolhe 12 bandas em competição, mais os concertos de bandas portuguesas nos dias da “Grande Final”, como é o caso de X. Wife ou Prana.

A próxima eliminatória decorrerá a 6 de outubro, no Arcádia, seguindo-se, a 13 de outubro, o Britannia Pub e, a 4ª e última eliminatória realiza-se a 20 de outubro, no Dunas Bar. A entrada nos bares é gratuita.

“A parceria feita com os bares do concelho, ajuda a dinamizar a música e a cultura em Vale de Cambra e a descentralizar o festival”, explicou ainda.

Os vencedores da 7ª edição do CambraFest, os Trauma Lips, oriundos de Lisboa também estarão presentes, este ano, para a final do concurso que contará com um painel de jurados, do qual fará parte, António Freitas, da Antena 3.

A organização destacou a qualidade das bandas concorrentes nesta edição e lembrou a evolução conseguida nestes oito anos.

“A quantidade e qualidade das bandas têm vindo a melhorar de ano para ano. Das cerca de 15 bandas inscritas nos primeiros anos, passámos a ter mais de 40”, frisou.

O evento já trouxe ao concelho, até hoje, mais de uma centena de bandas de todo o país e pretende, continuar a ser o evento musical com “maior relevo em Vale de Cambra”, referiu ainda.

Eduardo Marques lamenta apenas que, nos últimos anos, o evento não tenha contado com a participação de bandas do concelho.

“No início do festival, o concelho estava sempre representado por cinco a seis bandas, mas há dois anos que não se inscreve nenhuma banda”, referiu.

Com um orçamento de 17 mil euros, o festival de música conta com o apoio logístico e financeiro da Câmara Municipal de Vale de Cambra e de vários patrocinadores.

O parque subterrâneo continua a ser o local escolhido pela organização para a grande final do evento por apresentar as condições necessárias para a sua realização.

“É um local que não incomoda ninguém no que diz respeito ao barulho, está bem localizado, no centro da cidade e tem a acústica ideal”, concluiu.

Esta é a iniciativa mais representativa da AAC, coletividade com 24 anos de existência e mais de 800 associados.

 

Deixe uma resposta

error: Content is protected !!