Feira da Castanha de Castelões ajuda a promover produto endógeno

A 13ª edição da Feira da Castanha deste ano promoveu, mais uma vez, as castanhas, mas também os produtos endógenos da freguesia de S. Pedro de Castelões, com 50 exposições.

Cristina Maria Santos

Para Sérgio Soares, presidente da junta, esta tem sido uma das formas melhores formas de promover a castanha castelonense e os seus produtores.

“Estamos certos do valor da castanha e do castanheiro, isso é público e notório com a aposta contínua neste certam. Temos vindo a consolidar, ano após ano, a Feira da Castanha que ganha gradualmente mais adesão e consistência na agenda de eventos, não só de Vale de Cambra, mas de toda a região e do país.”, referiu.

A mostra decorreu entre os dias 2 e 4 de novembro e apresentou várias iniciativas, desde saídas micológicas e showcookings até a exposições, feira de artesanato e produtos locais, passando pelas atividades desportivas e culturais com animação e espetáculos ou o tradicional magusto infantil com as escolas locais.

“A Feira da Castanha deste ano foi um sucesso. O facto de ter sido visitada por milhares de pessoas, não acontece por acaso, mas sim é o reflexo de treze edições em que melhoramos ano após ano, com inovações, com novos espetáculos, mais participantes, mais pessoas envolvidas, promotores locais e regionais nas mais diversas áreas deste a gastronomia, à agricultura ao artesanato”, explicou o autarca ao jornal Voz de Cambra.

“A Feira teve, este ano, ainda mais visitantes, destaco o sábado à noite, dia 3, como o auge do evento em que todas as áreas do recinto estavam repletas, mas também o domingo, mesmo com mau tempo e com os nossos conterrâneos e a prata da casa, teve casa cheia”, referiu.

Este ano, estiveram no recinto 50 exposições: desde o secretariado, árvores e plantas, mercearia e produtos agrícolas, mel, doces e compotas, tenda de artesanato, três artesãos fora da tenda; licores; castanhas de Castelões; associações locais: EB1/JI de Areias, Associação de Pais EB2/3 Dairas, Associação de Pais EB1/JI de Vila Chã e de Macinhata); a tenda da gastronomia e ainda a loja móvel de exposição e produtos locais, bem como a exposição de animais.

A 13ª edição desta Feira trouxe também várias atividades ao longo dos três dias, com uma agenda “sempre em movimento”, explicou o presidente.

“A nossa aposta é gerar sempre, ao longo dos três dias, espaços, atividades, uma agenda sempre em movimento com coisas a acontecerem para os mais variados públicos”.

Sérgio Soares destacou ainda a estreia do Centro de Educação Ambiental na Feira, com atividades para todos, mas que regularmente teve desafios destinados ao público infantil e juvenil, “com uma adesão fantástica”, referiu.

Destacou ainda a noite de 3 de novembro, com o concerto de Ruizinho de Penacova, que “levou a Feira ao rubro”, mas também os momentos desportivos: com o BTT e o Trail a ganharem cada vez mais adeptos.

“Gostaria de deixar aqui um destaque para todas as atuações, desde o folclore, às academias de dança de Vale de Cambra, passando pelos cantares e pelas atuações de bombos a reunirem a adesão de várias centenas de pessoas. Não podemos também esquecer o “Baile do Ouriço”, que envolveu 320 idosos da freguesia.

O “Magusto Infantil” foi também um dos momentos altos do evento, com a presença de 400 crianças das escolas de S. Pedro de Castelões, do ensino Pré-Escolar e do 1.º Ciclo do Ensino Básico.

O autarca referiu-se ainda aos apoios conseguidos para esta iniciativa e lembra que o objetivo é dar continuidade ao evento, sempre com novidades.

“Tudo o resto será para continuar e para melhor claro. Espero que a Câmara Municipal continue a apoiar o evento e que aposte nele tal como nós apostamos”, reiterou.

O presidente da Junta de Freguesia aproveitou para agradecer a todos quantos estiveram envolvidos na organização e participação desta Feira.

“Apoiar a Feira da Castanha é ajudar a Freguesia de São Pedro de Castelões a crescer. Este ano, contámos com o apoio de várias empresas da freguesia e não só, e com os apoios institucionais da Câmara Municipal. Todos os participantes, animadores, grupos, artistas, artesãos, agricultores, pessoas envolvidas na organização ontem e hoje são sempre apoios e fazem parte desta grande família que já é a Feira da Castanha. A todos o nosso bem-haja”, reforçou.

……

“Memórias Soltas” de Adolfo Coutinho

Adolfo Tavares Coutinho, natural de S. Pedro de Castelões, apresentou, durante este certame, o volume II das suas “Memórias Soltas”.

O livro trata-se da história das pessoas desta freguesia e dos usos e costumes castelonenses. Recorde-se que Adolfo Coutinho tem escrito obras sobre personalidades e famílias desta freguesia.

 

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

error: Content is protected !!