Misericórdia de Vale de Cambra leva “Tartaruga Patuga” em digressão por toda a região

O Projeto “Tartaruga Patuga”, um livro infantil da autoria da Misericórdia de Vale de Cambra, anda em digressão pelas escolas da região.

Cristina Maria Santos

A autora do livro Névea Gomes e ilustradora Ana Pinho, professoras da Santa Casa da Misericórdia de Vale de Cambra têm levado a cabo, uma digressão pelas escolas de toda a região.

As escolas dos concelhos vizinhos, como Oliveira de Azeméis e Arouca já conhecem o Kit “Tartaruga Patuga”, um livro infantil lançado em maio deste ano pela Misericórdia valecambrense, composto por um livro infantil, um jogo de memória e um jogo digital.

Com uma abordagem lúdica de aprender os números, as cores e, sobretudo de ajudar as crianças a dar asas à imaginação, este é um livro educativo, para crianças dos três aos oito anos, que tem uma tartaruga como protagonista que, juntamente com os seus amigos, transforma a aprendizagem num jogo que ajuda as crianças a aumentar as suas próprias capacidades de imaginação.

“É uma mistura do sonho com a realidade e uma viagem ao bosque da clareira colorida”, explicaram, na altura, as autoras do livro.

Acompanhado de um jogo de memória com o mesmo nome, o livro proporciona às crianças uma aprendizagem interativa e assim adquirem as suas primeiras competências matemáticas.

“A brincar, as crianças aumentam a confiança na aprendizagem e adquirem os primeiros conceitos matemáticos”, explicaram ainda as professoras ao jornal Voz de Cambra.

O projeto “A Brincar Aprendo Matemática”, nasceu no âmbito do prémio “Ciência na Escola”, da Fundação Ilídio Pinho, no qual o pré-escolar da Santa Casa participou, explicou o provedor da Santa Casa, António Pina Marques.

“Estamos em fase de concretização de um sonho, que era levar este projeto mais além. Sabíamos, desde logo, que, tanto o livro, como o jogo, tinham potencial para chegar mais longe. Estamos a levá-lo para além das fronteiras de Vale de Cambra”, adiantou ainda o responsável.

Com a duração máxima de uma hora, o programa de apresentação da atividade conta com uma canção da Patuga, um conto dramático da história e o jogo de memória que é feito com as crianças. Segue-se a apresentação do jogo digital “Patugamat” – um jogo informático em que a Tartaruga Patuga volta a ser a personagem principal e tem como objetivo dar a conhecer a sua casa e a escola, testando a memória das crianças e a sua capacidade de cálculo e identificação de figuras geométricas. A sessão termina com a visita da mascote Patuga.

“A apresentação deste projeto nas escolas tem tido uma envolvência e uma adesão fantástica”, explicaram ainda as professoras, em jeito de balanço.

A Misericórdia de Vale de Cambra já tem datas agendadas para apresentação deste projeto para os próximos meses nos concelhos vizinhos.

 

Leia a edição completa na edição em papel. 

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

error: Content is protected !!