Embaixada da República da Coreia oferece tablets a Cruz Vermelha de Vale de Cambra

O embaixador da República da Coreia do Sul, Song Oh juntou-se, esta quarta-feira, à delegação da Cruz Vermelha Portuguesa de Vale de Cambra para apoiar a sua ação humanitária e oferecer tablets à instituição que acolhe cerca de 20 jovens.

O embaixador Song Oh foi recebido nas instalações da delegação da Cruz Vermelha para entregar oficialmente um donativo de equipamentos tecnológicos (tablets).

O presidente da delegação de Vale de Cambra, José Roque, considerou que esta doação se traduz numa importante ajuda para os 20 jovens que a instituição acolhe.

A embaixada da República da Coreia do Sul fez um donativo de 100 equipamentos tecnológicos (tablets), que estão a ser distribuídos pelas equipas técnicas que acompanham as crianças e jovens integrados nas casas de acolhimento da Cruz Vermelha Portuguesa em Portugal e ainda 500 Equipamentos de Protecção Individual (EPI), que vão permitir reforçar a continuidade do trabalho dos técnicos que, diariamente, desempenham funções nas respostas de prevenção e controlo da Pandemia.

Recorde-se que a delegação de Vale de Cambra também tem estado na linha da frente nas respostas de prevenção e controlo da Pandemia, nomeadamente na testagem em massa da comunidade e estes equipamentos servirão para aumentar a capacidade de resposta às exigências provocadas pela pandemia. 

A visita do embaixador à Cruz Vermelha Portuguesa acontece por ocasião do 60.º aniversário do estabelecimento de relações diplomáticas entre a República da Coreia e a República Portuguesa.

Song Oh reforçou em Vale de Cambra – e na presença dos presidentes da  Assembleia e Câmara Municipal, Miguel Paiva e José Pinheiro, respetivamente e do diretor da Segurança Social de Aveiro, Fernando Mendonça – o objetivo de consolidar as estreitas relações de cooperação entre os dois países e quis conhecer o que de melhor se faz pelo concelho e pela região. 

José Pinheiro convidou o embaixador a fazer uma outra visita ao concelho para lhe dar a conhecer a dinâmica industrial da metalomecânica, mas também a sua gastronomia, nomeadamente o vinho verde desta região. 

Deixe uma resposta