Governo anuncia que Vale de Cambra está em situação de “alerta” e poderá recuar no desconfinamento

A ministra da Presidência revelou, esta quinta-feira, em conferência de imprensa, que há agora 23 concelhos que estão em alerta devido ao número de casos por 100 mil habitantes, 17 já estavam em risco há uma semana e seis juntam-se agora a esta lista. Vale de Cambra é um deles.

O concelho de Vale de Cambra tem vindo a aumentar o nível de incidência de casos e, a manter-se assim, poderá recuar no desconfinamento. 

Estes concelhos deverão ter especial atenção porque caso mantenham o nível de incidência de casos na próxima semana poderão recuar no desconfinamento, referiu a ministra.  

Para além de Vale de Cambra, também estão em situação de alerta: Alpiarça, Alvaiázere, Arganil, Beja, Castelo de Paiva, Coruche, Fafe, Figueiró dos Vinhos, Fornos de Algodres, Golegã, Lagos, Lamego, Melgaço, Oliveira do Hospital, Paços de Ferreira, Penafiel, Peniche, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Santa Comba Dão, Tábua e Vidigueira.

O Voz de Cambra já tinha adiantado, no início deste mês, a possibilidade de o concelho vir a recuar no desconfinamento, caso continue a subir na linha vermelha definida pelo Governo.   

Vale de Cambra continua com uma incidência cumulativa de nível abaixo dos 120 novos casos de infeção pelo novo coronavirus por 100 mil habitantes a 14 dias – o limite de incidência cumulativa definido pelo Governo para o desconfinamento, mas a situação poderá agravar-se, tendo em conta a subida de novos casos nos últimos dias. 

Segundo informações que o presidente da Câmara de Vale de Cambra, José Pinheiro, já tinha avançado, têm aumentado de forma “preocupante” as infeções pelo novo coronavírus no concelho.

O autarca mostra preocupação pelos possíveis surtos que possam surgir e apela à prevenção.  

Relativamente ao país, a maioria continua com as regras de 1 de maio, mas existem cinco exceções. Cabeceiras de Basto recua no desconfinamento e há quatro concelhos que se mantêm na fase em que estão: Carregal do Sal, Paredes, Resende e duas freguesias de Odemira – São Teotónio e Longueira/Almograve.

Mantém-se também a cerca sanitária nas duas freguesias do concelho de Odemira onde o risco de incidência é maior (São Teotónio e Longueira/Almograve).

Mas há quatro concelhos que avançam agora no desconfinamento depois de terem parado o processo: Miranda do Douro, Aljezur, Portimão e Valongo.

A partir de agora, a avaliação do risco dos concelhos que determina o nível de desconfinamento passa a ser feita semanalmente. Na semana passada, o primeiro-ministro tinha anunciada que 27 concelhos que tinham avançado para a última fase poderiam esta semana recuar. Assim sendo, apenas o concelho de Cabeceiras de Basto não vai poder continuar na quarta fase do desconfinamento. 

Deixe uma resposta