JORNAL VOZ DE CAMBRA

Ficha técnica

Edição:
Qwôt – Comunicação e Design, Lda — NPC: 515804142 
— detentor de mais de 10% do Capital Social

Diretores Executivos:
Cristina Maria Santos
Ricardo Bastos 

Redação e Administração: 
Av. Camilo Tavares de Matos, n. 28 – Loja U
3730 – 240 S. Pedro de Castelões
Vale de Cambra

Telefone: 256 186 902 
E-mail: geral@avozdecambra.pt  
Site: www.avozdecambra.pt

Depósito Legal Nº 29504/89 
Título com o Registo Nº 100.039 

Assinaturas
Nacional: 22.00€ —  Internacional: 40.00€
Preço avulso: 1,90€ — Inclui IVA à taxa de 6%

Diretor informação: Cristina Maria Santos (CP 6765)
Chefe de redação: Cristina Maria Santos (CP 6765)
Jornalista: Cristina Maria Santos (CP 6765)
Jornalista: Cristina Maria Santos (CP 6765)
— cristina@avozdecambra.pt

Diretor de arte: Ricardo Bastos
Grafismo e produção: Ricardo Bastos
Dep. Comercial: Ricardo Bastos
— rbastos@avozdecambra.pt

Colaboradores: 
Adão Cruz; Adolfo Coutinho; André Machado; António Correia de Pinho; Arlindo Gomes; Carlos Rodrigues; Carlos Torres; Cassilda Tavares; Delfim Almeida; Helena Barbosa; João Almeida; João Carvalho Silva Joel Santos; José Peres; Luís Almeida; M. J. T. Junqueira; Manuel de Almeida; Maria Clara Vide; Maria da Graça Pinho da Cruz; Maria Eduarda Couto; Nélson Martins; Paulo Franzini; Pedro Almeida; Pedro Barreira; Pedro Suárez; Sandra Luísa; Sérgio Balanyuk; Tiago Fernandes.


Estatuto editorial

  1. Voz de Cambra é um jornal regional generalista, pluralista, independente, mas com convicções próprias.
  1. O Voz de Cambra é um jornal independente de todos os poderes (políticos, económicos, sociais, religiosos ou culturais), defendendo esse espírito de independência também em relação aos seus próprios anunciantes.
  1. Voz de Cambra considera que os jornais devem ser independentes, porque só assim poderão cumprir a sua função essencial perante a sociedade, que é a de garantir o acesso livre dos seus leitores à informação e defender ativamente a liberdade de expressão.
  1. Afirmando-se um jornal independente, o Voz de Cambra não deixa, porém, de ser um jornal de convicções próprias. E por isso assume que causas de cidadania, como a defesa das liberdades fundamentais e da democracia, de um ambiente saudável e sustentável, da língua portuguesa e do património histórico-cultural, do multiculturalismo, do incitamento à participação da sociedade civil na resolução dos problemas da comunidade, devem ser divulgadas, sem prejuízo do pluralismo de opinião e de conceder voz a todas as correntes, nunca perdendo nem renunciando à capacidade de crítica.
  1. Voz de Cambra rege-se pelos princípios da deontologia dos jornalistas e da ética profissional, pelo que afirma que quaisquer leis limitadoras da liberdade de expressão terão sempre a firme oposição deste jornal e dos seus profissionais.
  1. Voz de Cambra é um jornal feito por jornalistas profissionais, pelo que se recusa a ser mero repositório de notas de imprensa e informações oficiais, antes promovendo o trabalho e a investigação própria, ainda que isso signifique custos acrescidos de produção dos seus conteúdos.
  1. O Voz de Cambra rege-se pelo princípio da objetividade e da independência no que diz respeito aos seus conteúdos noticiosos em todos os suportes. As suas notícias narram, relacionam e analisam os factos, para cujo apuramento serão ouvidas as diversas partes envolvidas.
  1. Voz de Cambra é um jornal tolerante e aberto a todas as opiniões, embora se reserve o direito de não publicar opiniões que considerar ofensivas. A opinião publicada será sempre assinada por quem a produz, sejam os jornalistas do Voz de Cambra, sejam colunistas externos. O Voz de Cambra  não confundirá nunca notícias com opinião.