Vale de Cambra não avança no desconfinamento

À par com Lisboa, Braga e Odemira, Vale de Cambra não avança no desconfinamento por causa do aumento de casos de Covid-19 no concelho. 

Em Vale de Cambra, não será possível entrar num restaurante até à meia-noite ou assistir a um evento desportivo e continua a ser obrigatório o teletrabalho, isto porque, ficou, esta quarta-feira, para trás, por causa do aumento de casos de Covid-19 no concelho.

Nesta quarta-feira, no final de mais um Conselho de Ministros, a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva revelou que – apesar da incidêndia de casos de Covid-19 em Portugal ser positiva, ainda que, nos encontremos num momento de crescimento da pandemia – há quatro concelhos ( Lisboa, Braga, Odemira e Vale de Cambra), que não acompanham o passo nacional e, por isso, vão manter-se com as regras sanitárias atualmente em vigor, em vez de avançarem com o resto do território.

Há ainda dez municípios em alerta, que, caso não diminuam a incidência na próxima semana, correm o risco de retroceder no desconfinamento: Albufeira, Alcanena, Arruda dos Vinhos, Cascais, Loulé, Paredes de Coura, Santarém, Sertã, Sesimbra e Sintra. Mas estes acompanham a evolução nacional e vão, a partir próxima semana, poder entrar num restaurante até à meia-noite ou assistir a um evento desportivo. 

Não será este o caso de Vale de Cambra que, sendo assim, a partir da próxima segunda-feira, não avançara naquela que é a próxima fase do desconfinamento que permite que os estabelecimentos comerciais possam  reger-se pelo seu horário de funcionamento normal; a restauração e as salas de espetáculos podem ter as portas abertas até à 1:00 (e receber clientes até à meia noite); deixa de haver necessidade de marcação prévia nos serviços públicos; os eventos desportivos podem ter público (com uma lotação máxima de 33%) e os transportes onde os passageiros vão sentados passam a poder ter uma ocupação de 100% e de dois terços para os que têm passageiros em pé.

À data de 4 de junho, a incidência cumulativa a 14 dias, entre 19 de maio e 1 de junho, em Vale de Cambra é de de 173 casos positivos por 100 mil habitantes.

A Ministra revelou hoje que a incidência está avaliada em 76,6 infetados por cem mil habitantes a 14 dias e o índice de transmissibilidade (RT) encontra-se em 1,08.

Empresas com mais de 150 trabalhadores terão de testar funcionários periodicamente

Uma outra novidade revelada por Mariana Vieira da Silva está relacionada com a testagem. A partir de segunda-feira, as empresas com mais de 150 trabalhadores no mesmo local terão de testar periodicamente os seus funcionários e os encargos são das responsabilidade dos empresários. 

Eventos culturais, desportivos, casamentos e batizados com rastreio

Haverá também, a partir de 14 de junho, um conjunto de eventos culturais, desportivos e de natureza familiar (casamentos e batizados) onde o rastreio também será necessário à entrada. Estas são da responsabilidade da Direção-Geral da Saúde, que deverá publicar uma norma sobre isto nos próximos dias.

Portugal vai permanecer em estado de calamidade até 27 de junho e o teletrabalho continua obrigatório para os imunodeprimidos e nos quatro concelhos que não avançam para a próxima fase do desconfinamento. 

Deixe uma resposta