Raros e valiosos. Há Automóveis de Interesse Histórico no centro de Vale de Cambra até amanhã

Trata-se de uma exposição única para os apaixonados pelos automóveis. São 51 máquinas únicas, incluindo o “primeiro carro a ser produzido em série”. A exposição de Automóveis de Interesse Histórico foi avaliada pela entidade organizadora, Sport Clube de Cambra, em dois milhões de euros e mostra-se no centro da cidade de Vale de Cambra, entre hoje e amanhã até às 19h.

Cristina Maria Santos

Durante dois dias, entre 15 e 16 de agosto, a Praça Álvaro Pinho da Costa da Leite, no centro da cidade de Vale de Cambra, recebe uma exposição de automóveis de interesse histórico. 

O Voz de Cambra visitou a exposição com a visita guiada de Carlos Correia, presidente do Sport Clube de Cambra, entidade organizadora do evento, mas também ele, um apaixonado por automóveis, com uma coleção de 27 carros antigos.  

O percurso levou-nos a conhecer os 51 carros expostos, entre eles, um Porche 356 C, produzido em 1948, que pertenceu a uma artista americana e que está avaliado em 250 mil euros. Carlos Correia fez também questão de trazer para a mostra o primeiro carro produzido em série. Trata-se do Ford T, de 1926, o carro mais popular e com maior nível de vendas no mundo. Mas há mais.  

O carocha da Volkswagen (VW) é também um dos automóveis que poderá ver nesta exposição. Trata-se de um verdadeiro mito na história do automóvel, não só pelo seu original e popular desenho, mas também porque tem a particularidade de ser o carro mais vendido de todos os tempos. Carlos Correia lembra ainda que o conceito que deu lugar ao carro surgiu quando em 1934 Hitler recorreu a Porsche para criar o seu tão ansiado “carro do povo”. A particularidade deste carro é que o vidro traseiro estava dividido em dois e ainda não apresentava piscas independentes. 

A sua paixão já deu frutos e passou para a filha, de 15 anos. Ana Correia quer seguir as pisadas do pai que, em 2001, foi campeão nacional de rali. 

“Quero ser engenheira mecânica porque quero estar ligada a tudo o que diga respeito ao automóvel”, adianta.

O objetivo da jovem de Vale de Cambra é aumentar a coleção do pai e ajudar também na promoção do desporto motorizado no concelho. 

“Era importante que todos apoiássemos este desporto porque ele tem potencial em Vale de Cambra”, reforça. 

O Sport Club de Cambra, que completa este ano em outubro 25 anos de existência, esteve sempre ligado ao desporto motorizado, organizando eventos como o mundial do Enduro e várias provas nacionais da modalidade. 

“Vale de Cambra tem potencial nesta área, porque temos nesta exposição cerca de 50 automóveis de valecambrenses, o que revela que são muitas as pessoas que gostam, colecionam e revela também que o concelho tem muita tradição no desporto motorizado”. 

Carlos Correia diz que o concelho tem condições para fazer até um museu direcionado para esta área, onde podiam ser colocados estes e outros automóveis, com potencial histórico.  

“Era muito interessante que todos estes automóveis estivessem num museu e pudessem ser visitados por toda a gente”, refere. 

O presidente da Câmara de Vale de Cambra, José Pinheiro também visitou o local da exposição e revela que este é um evento que deve ter continuidade. 

“Este ano, a organização da mostra ficou limitada pelo cumprimento das normas de segurança relacionadas com a pandemia mas, para o próximo ano, o Sport Clube de Cambra pode voltar a fazer o evento, ainda com mais automóveis, uma vez que, no concelho, há ainda muitos destes carros na garagens de valecambrenses”, declara. 

O autarca também concorda com o facto do concelho ter tradição na área do desporto automóvel, motorizado e lembra que têm sido vários os eventos realizados relacionados com a temática, nomeadamente: enduro, concentrações, rali, passeios turísticos, que trazem ao concelho muitos visitantes.  

O evento conta com o apoio da Câmara Municipal de Vale de Cambra e está a ser vigiada pela GNR durante o dia e a noite, sendo que o valor dos automóveis expostos ascende aos dois milhões de euros. 

A mostra tem contado com a visita de muitos valecambrenses, mas também de apaixonados por automóveis antigos que vieram de vários pontos da região para apreciar a inédita exposição. 

Devido ao cumprimento das regras de proteção contra a covid-19, para entrar na exposição precisa usar máscara e desinfetar as mãos à entrada da mesma. 

Deixe uma resposta