Vale de Cambra cria linha de apoio para fornecer bens e medicamentos a população vulnerável

A Câmara de Vale de Cambra es- tabeleceu uma linha de apoio para população vulnerável por estar mais isolada e/ou dependente, que permitirá garantir o fornecimento ao domicílio de bens alimentares e medicamentos.

As novas medidas implementadas pela Câmara de Vale de Cambra pretendem
ir ao encontro de pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade por estarem mais isoladas e/ou dependentes.

O Serviço de Atendimento de Emer- gência Social COVID 19 criado pelo Município é acessível através da linha telefónica 256 420 533 e é gratuito.

“Pretende-se ajudar todas as pessoas que se encontrem em situação de maior vulnerabilidade e dependência e que, por isso mesmo, não conseguem deslo- car-se para comprar bens alimentares ou medicamentos”, explica a nota de imprensa chegada à nossa redação.

Por exemplo, mediante a apresentação da receita médica com o pedido, o servi- ço fará chegar os medicamentos em falta a casa do utente.

A linha de emergência social é traba- lhada em articulação com as IPSS’s (Ins- tituições Particulares de Solidariedade Social), mas esta resposta está aberta à integração de novas medidas de acordo com as necessidades que se venham a verificar ao longo deste período, adianta a Autarquia. A Câmara de Vale de Cam- bra revelou ainda que a equipa gestora do projeto “Apadrinhamento de Idosos” tem também estado em permanente contacto com os voluntários e com os respetivos beneficiários e que, deste modo, o Gabinete de Apoio ao Idoso do Município estabeleceu um processo de

contacto com todos os idosos do Conce- lho, priorizando os que vivem sozinhos e que poderão ter alguma necessidade especial.

O reforço de meios de combate ao Co- vid-19 e apoio social será feito, de acordo com o presidente da Câmara Municipal, José Pinheiro, com verbas que estavam afetas aos eventos cancelados pela Au- tarquia neste período de contenção.

“Neste momento particularmente difícil para toda a comunidade é impe- rioso atuar. Por isso, e tal como já foi divulgado no dia 17 de março, as verbas afetas aos eventos que fomos obrigados a cancelar, como as Festas de Santo António, a RunCambra, a Feira da Saúde ou o Encontro de Teatro Amador, serão canalizadas para o reforço de meios de combate ao Covid-19 e ao apoio social”, referiu o autarca.

Deixe uma resposta