Já pode requerer incentivos à criação de gado da Raça Arouquesa em Vale de Cambra

Regulamento de atribuição de incentivos à criação de gado tradicional da Raça Arouquesa, criado pela Câmara Municipal de Vale de Cambra, já foi publicado em Diário da República, depois de ter sido aprovado em Assembleia Municipal, com o objetivo de inverter o “decréscimo acentuado” no número de produtores na área do Município. 

A partir de agora e até dia 25 de junho, todos os interessados em se candidatarem a incentivos à criação de gado tradicional da Raça Arouquesa podem fazê-lo através através do requerimento disponível no Balcão de Atendimento da Câmara Municipal ou através do formulário no site da Câmara Municipal de Vale de Cambra (https://www.cm-valedecambra.pt).

O regulamento de atribuição de incentivos à criação de gado tradicional da Raça Arouquesa, criado pela Câmara Municipal de Vale de Cambra, já foi publicado em Diário da República, depois de ter sido aprovado em Assembleia Municipal, com o objetivo de inverter o “decréscimo acentuado” no número de produtores na área do Município. 

Com este regulamento vão ser beneficiados os agricultores que têm como atividade a criação de gado bovino de raça Arouquesa e o apoio chega também aos que tenham novilhos para criar, “de forma a conservar o património genético desta raça no concelho”, frisou o vereador do pelouro José Alexandre Pinho, em declarações ao Voz de Cambra. 

Sendo esta raça, uma espécie autóctone e dominante no concelho, a autarquia considera ser este um passo importante para promover o mundo rural e ainda promover o turismo no concelho através da gastronomia, sendo esta carne utilizada para confeção da “vitela assada”, um dos pratos representativos da gastronomia do município.

O regulamento fundamenta ainda a importância desta carne, no facto de ser adequada para ser assada na brasa, na chapa ou no tradicional assado típico também desta região, pelo que a sua utilização pelos restaurantes locais tem registado um forte incremento, em benefício da oferta gastronómica e consequente promoção turística do Município fora das suas “portas”.


Incentivos 

Os incentivos passam pela atribuição de um prémio anual de 100 euros por animal, a conceder aos produtores ou proprietários de animais de raça arouquesa, nascidos nessa exploração no ano anterior ao ano da atribuição do prémio e tendo completado cinco meses nessa mesma exploração até à data limite de submissão da candidatura; a atribuição de prémio anual de 100 euros por novilha/o que concretize os 18 meses de idade no ano anterior ao ano da atribuição do prémio, a conceder aos proprietários da exploração onde o animal se encontra registado à data limite de submissão da candidatura; e ainda incentivo à certificação da raça arouquesa junto da Associação Nacional de Criadores de Raça Arouquesa (ANCRA). 

Para os produtores beneficiarem de ajudas, o bovino tem de ser nascido e criado, até aos cinco meses na mesma exploração no concelho de Vale de Cambra; ser proveniente de exploração registada no sistema Nacional de Informação de Informação e Registo Animal (SNIRA) e estar ele próprio registado à data da candidatura; o animal estar devidamente identificado pela Organização de Produtores (OPP); todos os bovinos devem ser provenientes de linha pura e estar registados na ANCRA; e os proprietários inscritos no Instituto de Financiamento da Agricultura  e Pescas (IFAP) devem ter a sua situação regularizada com esta entidade; bem como todos os proprietários candidatos a este apoio não podem ser devedores ao Município. 

A compensação pode ser acumulada com os prémios do concurso pecuário a realizar na Feira do Arestal, Feira dos Dezasseis ou outras do concelho e os incentivos previstos só poderão ser atribuídos uma única vez por animal. 

Deixe uma resposta