PSD de Vale de Cambra faz reflexão sobre assimetrias entre concelhos e regiões no Conselho Nacional

O líder da concelhia social-democrata de Vale de Cambra, João Carvalho Silva fez uma reflexão sobre as questões que considera prementes para o país, mas também para o concelho de Vale de Cambra, no último Conselho Nacional do partido PSD, realizado na cidade da Guarda. 

João Carvalho Silva falou das assimetrias que existem entre concelhos e regiões do país, no que diz respeito a “bens e serviços de primeira necessidade”. 

“Vivo num país com áreas metropolitanas onde se debate preços mais baixos para os diversos transportes públicos, mas em simultâneo temos regiões, concelhos inteiros, que não têm um único transporte público”, referiu. 

Foi na última sexta-feira, 4 de junho, na cidade da Guarda que o Conselho Nacional, órgão máximo entre congressos, se reuniu para aprovar as contas do partido e discutir as eleições autárquicas.

O presidente social-democrata de Vale de Cambra esteve presente e referiu-se à urgência em criar habitação a custos controlados, saneamento básico para toda a população, uma “justiça completamente independente do poder político e imparcial”, uma atualização salarial eficiente, deputados que representem as regiões, entre outras “verdadeiras necessidades da população”, frisou. 

João Carvalho Silva dá o exemplo de Vale de Cambra e das dificuldades do interior do concelho. Ao longo do seu discurso, o líder do partido insistiu em exemplos de bens e serviços de primeira necessidade “deficitários” nas regiões em questão.

“Vivo num país com imensos municípios que não garantem o saneamento básico às populações, básico. A água, por exemplo, é uma miragem em muitos locais que conheço. Mas ainda há pior. Quantos cidadãos pagam o saneamento sem o terem?”, especificou.

O líder do PSD de Vale de Cambra terminou a sua intervenção com um apelo ao partido.

“Temos ainda tanto por fazer. Como disse no início, somos o Partido Social Democrata”, frisou o presidente da concelhia do PPD/PSD local. 

Deixe uma resposta