Emigrantes regressam às freguesias do concelho

É um fenómeno que está a acontecer um pouco por todo o país e Vale de Cambra não é exceção.
Às freguesias do concelho estão a chegar centenas de emigrantes que estão a regressar à sua terra em fuga de vários países afetados pelo surto epidémico de coronavírus. O presidente da Câmara já apelou à necessidade destas pessoas se submeterem e respeitarem o isolamento social, agora obrigatório, de 14 dias. 

Conforme revelou, por exemplo o presidente da junta de Arões, Arménio Lige, a esta freguesia têm chegado vários emigrantes provenientes de vários países que decidiram voltar à terra natal. 

“Aqui há bastantes emigrantes e já chegaram alguns”, confirma. O presidente garante, no entanto, que os que já se encontram na freguesia, estão a fazer quarentena. Milhares de emigrantes estão a regressar a Portugal em fuga de vários países afetados pelo surto epidémico de coronavírus e Vale de Cambra não é exceção. A presidente da Câmara de Vale de Cambra já alertou para o regresso, nos últimos dias, de centenas de emigrantes ao concelho e a necessidade de aquelas pessoas se submeterem e respeitarem o isolamento social, agora obrigatório, de 14 dias. Dizendo-se preocupado com a situação, a autarca refere não se saber se aqueles trabalhadores estão ou não infetados e que, por isso, se devem submeter a um período de isola- mento que, de acordo com uma orientação da autoridade local de saúde, é obrigatório, desde o dia em que chegam ao país. A população das sete freguesias do concelho, têm acatado com as medidas impostas pela Direção Geral de Saúde, mas encontram-se apreensivas com a situação. Arménio Lige disse que, na sua freguesia, as pessoas cumprem com o estabelecido, mas revelam-se preocupadas. “As pessoas encontram-se apreensivas, mas de forma geral cumprem o estabelecido. Só saem trabalhar, fazer compras e vão à farmácia”, revelou. 

Deixe uma resposta