Hospital da Feira recebe quatro novos ventiladores. Vale de Cambra entre os cinco municípios que ofereceu equipamentos

O Hospital S. Sebastião, em Santa Maria da Feira, recebeu hoje, 21 de maio, quatro dos seis ventiladores adquiridos em conjunto pelas câmaras municipais da Associação de Municípios das Terras de Santa Maria (AMTSM) que integram o Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga (CHEDV), do qual faz parte o município de Vale de Cambra.

O presidente da Câmara de Vale de Cambra juntou-se hoje, aos seus homólogos de Arouca, Santa Maria da Feira, São João da Madeira e Oliveira de Azeméis para simbolizarem o momento de entrega de quatro de seis novos ventiladores ao Centro Hospitalar, para os profissionais de saúde e para a comunidade.

Os quatro ventiladores portáteis estiveram expostos no átrio principal do Hospital S. Sebastião, ficando para breve a chegada dos outros dois equipamentos de caraterísticas diferentes. 

O presidente do Conselho de Administração do CHEDV, Miguel Paiva salientou a importância dos novos equipamentos que vão permitir repor os ventiladores que foram canalizados para o tratamento da COVID-19 em serviços onde são também essenciais. 

O presidente da AMTSM e autarca do município de S. João da Madeira, Jorge Sequeira também realça que estes equipamentos vêm reforçar a capacidade de resposta desta unidade hospitalar.


Esta é também a opinião de todos os municípios da AMTSM que consideram necessário o reforço de meios nas unidades hospitalares para que, a qualquer momento, “possam fazer face às necessidades”, até porque esta é uma crise que “não tem fim à vista”, lembraram. 

O presidente da Câmara de Vale de Cambra, José Pinheiro esteve presente na entrega dos equipamentos que considerou essenciais, também para o seu concelho.  

“Estes equipamentos são necessários para os cuidados intensivos daquela unidade hospitalar que dá apoio aos doentes de Vale de Cambra”, referiu o autarca esta quinta feira, na comunicação habitual que faz aos valecambrenses, através do Facebook. 

E acrescentou que, esta era uma das principais necessidades daquele hospital e que, com a generosidade dos municípios, vê agora suprida aquela falta que pode ser útil a todos.

“Ajudar hoje quem amanhã pode salvar a vida de muitos cidadãos”, frisou. 

Deixe uma resposta